RISCO OPERACIONAL

Entenda como funciona a política de riscos operacionais do Banco Cetelem.


Conceito

Risco Operacional é definido como a possibilidade da ocorrência de perdas resultantes de eventos externos ou de falha, deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas ou sistemas. A definição inclui o risco legal associado à inadequação ou deficiência em contratos firmados pela instituição, as sanções em razão de descumprimento de dispositivos legais e a indenizações por danos a terceiros decorrentes das atividades desenvolvidas pela instituição. No Banco Cetelem, entre os eventos de risco operacional, incluem-se:

  • Fraude Interna;
  • Fraude Externa;
  • Demandas trabalhistas e segurança deficiente do local de trabalho;
  • Práticas inadequadas relativas a clientes, produtos e serviços;
  • Danos a ativos físicos próprios ou em uso pelo banco;
  • Situações que acarretem a interrupção das atividades do banco;
  • Falhas em sistemas, processos ou infraestrutura de tecnologia da informação; ou
  • Falhas na execução, cumprimento de prazos e gerenciamento das atividades do banco.

Estrutura

Em linha com os princípios de Governança Corporativa e aos preceitos da Basiléia (Acordos I e II) o Banco Cetelem possui uma área dedicada denominada Risco Operacional, dentro da estrutura de Risco, com políticas específicas, processos, ferramentas e controles apropriados para a gestão do Risco Operacional.

A Superintendência de Risco Operacional & Controles é parte integrante da Diretoria de Risco, que está subordinada ao Diretor Regional de Risco para América Latina. Por sua vez possui reporte direto a Diretoria de Risco da Matriz (França).  A Diretoria do Banco Cetelem é responsável pelas informações prestadas e por acompanhar as correções das deficiências de controle e de gerenciamento do risco operacional.

Para estabelecer os princípios e responsabilidades para a gestão integrada contínua de riscos e a gestão contínua de capital do Conglomerado Prudencial BNP Paribas no Brasil (conforme Resolução 4.557), foi criada uma política aprovada pelas diretorias estatutárias das entidades que compõem o Conglomerado (Banco BNP Paribas Brasil S.A. , Banco Cetelem S.A., BGN Mercantil e Serviços Ltda. e BNP Paribas Proprietário Fundo de Investimento Multimercado Crédito Privado – Investimento no Exterior).

Instituiu-se o Comitê de Riscos, que se reúne trimestralmente sob a presidência da Diretora Presidente do BNPP. Nele apresentam o CRO do Conglomerado e os responsáveis de risco e das segundas linhas de defesa responsáveis pelo gerenciamento dos riscos relevantes do Conglomerado. As conclusões e recomendações do Comitê de Riscos são formalizadas em atas e apresentadas pelo CRO do Conglomerado às Diretorias estatutárias das Entidades.

Gerenciamento de Risco Operacional

A área de Risco Operacional é responsável por identificar, avaliar, monitorar, controlar e acompanhar junto às áreas as ações, visando minimizar e/ou mitigar os riscos operacionais inerentes ao negócio da empresa e atender à legislação pertinente.
A auditoria interna, conforme plano de auditoria, avalia de forma independente a estrutura de gerenciamento de risco operacional.
A mitigação do risco operacional no Banco Cetelem é de responsabilidade de todos, dependendo da participação ativa dos associados na execução de suas atividades.
Com objetivo de definir diretrizes para gestão do risco operacional, foi elaborada a Política de Gestão do Risco Operacional, que foi revisada pela Alta Administração em 26/01/2018. Este documento é revisado e aprovado anualmente.

Gestão do Risco Operacional

Cultura

O Banco Cetelem entende que a adequada gestão do Risco Operacional está diretamente relacionada com o comprometimento de todos os colaboradores e nesse sentido investe constantemente na disseminação da cultura em todos os níveis da instituição, buscando disseminar para seus colaboradores uma consciência preventiva, evitando a exposição da Instituição a esses mencionados riscos.

Comunicação Interna

A área de Risco Operacional é responsável por disseminar para a instituição a cultura de prevenção de perdas decorrentes do risco operacional. Com periodicidade definida, os assuntos relacionados á avaliação das perdas, correções de deficiências de controle e demais assuntos pertinentes são discutidos no Comitê de Controles Internos.


Cabe salientar que o Comitê de Controles Internos é composto pelos Membros do Comitê Executivo, Risco, Compliance, Finanças, Jurídico e Auditoria Interna, além das áreas convidadas em razão da pauta, coordenado pela Superintendência de Risco Operacional & Controles.

Alocação de Capital

Com base em estudos internos desenvolvidos juntamente com o BNP Paribas, a qual o Banco Cetelem faz parte, optou-se pela metodologia de indicador básico para alocação de capital, atendendo à Circular 3.383, de acordo com o Comunicado 16.913 do Banco Central.


O Banco Cetelem mantem a posição conservadora quanto ao capital regulatório a ser alocado para fins de riscos operacionais segundo a metodologia de abordagem básica (BIA - Basic Indicator Approach), por considerar que continua sendo a mais apropriada em função do atual cenário global, do nível de atividade e segmento de atuação.


É objetivo permanente do Banco Cetelem aprimorar continuamente a qualidade da gestão de riscos e atingir padrões que possibilitem a migração futura para metodologias mais avançadas de alocação de capital.

Plano de Continuidade de Negócios

O Banco Cetelem busca adotar as melhores práticas de mercado sobre as atividades relacionadas à Continuidade de Negócios, por meio de políticas internas e regulamentações do Banco Central do Brasil. A Política de Continuidade de Negócios, revisada anualmente, visa à retomada em tempo hábil das atividades do negócio em caso de interrupção por falhas ou desastres significativos. Este plano contempla 2 diretrizes: Política de Continuidade do Negócio e Plano de Recuperação de Desastre. Esta política define as diretrizes e a estrutura do plano de continuidade.

 

Este relatório é revisado e aprovado pela Diretoria do Banco Cetelem

Relatório de Gerenciamento de Risco do Conglomerado Financeiro

O Relatório completo da estrutura do gerenciamento de riscos do conglomerado financeiro encontra-se disponível no seguinte link:

https://www.cetelem.com.br/cetelem/governanca/basileia-ii-pilar-3